Novidades, dicas e artigos

História da Fibra Óptica: Conheça o caminho percorrido para chegar até você

Na próxima vez que você baixar um filme de 5 GB em poucos minutos (de uma fonte oficial, nada de pirataria!), pare por alguns segundos e agradeça a três caras: John, Narinder e Charles. Esses três físicos são peças importantes na história da fibra óptica.

Se não fossem eles, podemos dizer que assistir Netflix não seria tão legal (e rápido). Quer saber tudo o que rolou nos bastidores da história para que essa maravilhosa tecnologia fosse possível? Então, se ajeite na cadeira e vamos lá!

Repita comigo: a luz pode fazer curvas

Acontece que, até 1870, corria um boato de que a luz só se propagava em linha reta. E coitado do ser humano que ousasse falar o contrário. Até aí tudo bem. Porém, o físico inglês John Tyndall insistia em dizer que não.

Dizem que quando ele passava na rua, as pessoas cochichavam “ala, lá vai o cara que fala que a luz faz curvas” (mas, talvez, essa informação não seja verdade). Contudo, para mostrar que estava certo, Tyndall comprou uma lanterna, pegou um recipiente opaco cheio de água e fez dois furos.

Depois, com a lanterna, projetou um facho de luz por entre os buracos. Daí ele chamou os outros cientistas do “a luz só se propaga em linha reta” para olhar o que estava acontecendo. Pois bem, eles constataram que o feixe de luz também saia pela agua que escorria. Bingo! A luz pode fazer curvas.

Tá, mas e daí?

Para você, isso pode não ser lá grandes coisas, mas foi o suficiente para que o Jonh Tyndall ganhasse respeito dos colegas da Royal Society e voltasse a ser convidado para as festas (provavelmente foi isso que aconteceu).

História da Fibra Óptica

Bom, mas como é a luz atravessar um buraquinho com água permitiu que você jogasse LOL em tempo real com um cara do Japão? Calma, que tudo ainda vai fazer sentido. O fato serviu para que as pessoas revessem a velha opinião delas formada sobre tudo, ou pelo menos sobre a luz.

100 aninhos depois, um físico indiano chamado Narinder Singh Kapany estava fazendo um doutorado em ótica e começou a estudar sobre as singularidades da reflexão total interna. O que ele queria era desenvolver um tipo de tubo que aprisionasse a luz, de forma que, se ela entrasse, seria refletida em todos os ângulos possíveis até sair do outro lado.

E assim nasceu a fibra óptica

Ele conseguiu criar esse “tubo” e, em 1955, patenteava a invenção com o nome de fibra óptica. Uma espécie de cano (porém, da espessura de um fio de cabelo) que transporta luz. Aqui vale uma curiosidade, você sabia que a luz viaja a cerca de 300 mil km/s? Na prática, em um segundo, a luz consegue dar a volta sete vezes ao redor da Terra (para essa conta, considere a Terra como redonda).

Ou seja, ela é muito rápida. Então, imagina conseguir transmitir dados de internet nessa velocidade? Pois bem, é assim que você consegue ver vídeos, filmes, jogar e escutar música sem travar. Contudo, a história da fibra óptica como nós conhecemos ainda não estava consolidada.

Kapany não achou que a descoberta dele serviria para as pessoas verem Game of Throres. Na época, ele acreditava que o uso da fibra óptica ficaria restrita à medicina, mais precisamente, ao aperfeiçoamento do endoscópio. Não que ver o interior do corpo humano não seja legal, mas, para que parar aí não é mesmo?

E assim nasceu a fibra óptica melhorada

Para a sorte do mundo todo, em 1966, o físico chinês Charles Kuen Kao (lembra dos três nomes do começo deste texto?) mostrou que os cabos de fibra óptica, embora muito mais finos que os convencionais, tinham a capacidade de transmitir dados a um custo menor.
E como se isso já não fosse bom o suficiente, ele ainda falou que eles não conduzem eletricidade, ou seja, nada de interferência na transmissão. Pois bem, esse princípio revolucionou a indústria da telecomunicação. Basicamente, controlando a emissão de luz é possível criar códigos digitais para transmitir informações.

Entretanto, no começo, os sistemas ópticos ficaram restritos à curtas distâncias, por conta das limitações das tecnologias da época. Então, podemos acrescentar que outras inovações foram fundamentais na história da fibra ótica, como a invenção do LASER e as descobertas de materiais mais puros para a fabricação de fibra de vidro.

< Voltar