fake-news

Em tempos de Fake News, como identificar o que é verdade?

Na Era Digital, a informação não para. Em meio a tanto conteúdo, saiba identificar as Fake News — e separe de vez a verdade da mentira.

Do momento em que acordamos até fecharmos os olhos à noite, estamos conectados.

Dessa forma, você tem acesso às notícias assim que são lançadas. E não é preciso procurar por elas — a informação vem até sua tela. São mais de 1 bilhão de sites online, e uma grande parte quer chamar sua atenção. Mas, na Era Digital, também existem perigos. As Fake News, notícias falsas criadas para viralizar, mostram que as redes sociais nem sempre são benéficas. Segundo uma pesquisa canadense, 86% das pessoas já acreditaram em uma Fake News.

Para evitar cair nessa trama de mentiras, atenção é essencial. E, acima de tudo, é preciso conhecer o inimigo.

A seguir, entenda o que são e como identificar as Fake News.

O que são Fake News?

Os boatos de grande circulação existem antes mesmo da internet. Porém, o termo Fake News começou a ser propagado em 2016, durante a eleição dos EUA. Na época, notícias falsas foram publicadas em massa com o objetivo de degradar a imagem de figuras políticas. Desde então, pouco tempo passou, mas muito mudou. Hoje, as Fake News estão em todo o lugar. Elas afetam diversos setores sociais — como saúde, segurança pública e até mesmo o modo como interagimos.

Um exemplo das consequências das Fake News é sobre a mortalidade da vacina. Ao lerem mensagens alegando que ela seria mortal, milhares de pais não vacinaram seus filhos. Hoje, o sarampo, doença que havia sido eliminada no Brasil, voltou a afetar crianças. 

O maior problema é que muitas vezes é impossível descobrir quem criou a notícia falsa. Nas redes, a velocidade da informação é tão grande que fica praticamente impossível rastrear o conteúdo até a origem. E mais: quem dissemina Fake News em grande escala sabe como apagar os traços na web. São utilizados robôs — os bots — para espalhar a notícia rapidamente e em grande volume. Quando um usuário vê tantos perfis e sites falando a mesma coisa, é comum que ele mesma passe a espalhar a informação.

E certamente, mais importante do que bots, são pessoas. As notícias falsas são disseminadas 70% mais rápido do que as verdadeiras.  Mas por que isso acontece?

As Fake News geralmente provocam sentimentos revoltantes. Você sente medo, nojo, tristeza e raiva. Isso o torna mais emotivo e menos racional, criando o desejo de tomar uma ação. E daí, compartilha e opina antes de checar a veracidade dos fatos. Logo, todo cuidado é pouco. Muitas vezes, confiamos na fonte por ter chegado até nós por algum conhecido. Sem perceber, estamos disseminando uma notícia falsa. E tudo isso com um clique.

Portanto, a prevenção é a melhor saída. Em primeiro lugar, é preciso saber reconhecer uma notícia falsa. Saiba como abaixo:

Como identificar as Fake News?

“Se uma história é demasiadamente emocionante ou dramática, provavelmente não é real. A verdade é geralmente entediante.” A fala da jornalista Olga Yurkova ilustra bem a precaução que devemos tomar.”

Para não disseminar Fake News, desconfiar é a palavra-chave. Se algo parece demais para ser verdade, geralmente é. Veja alguns passos essenciais para identificar notícias falsas:

  • Cuide com manchetes muito dramáticas. Com o apelido de clickbait — “iscas de cliques” —, esses títulos tentam convencer você a compartilhar sem checar a veracidade.
  • Pesquise. Procure o que sites confiáveis falam sobre o assunto. Se a fonte cita um autor ou livro, confira se é real.
  • Verifique a data da publicação. Muitas vezes, notícias antigas são compartilhadas em massa para parecerem atuais.
  • Nunca acredite antes de checar. Não compartilhe notícias que você não sabe se são verdadeiras. Na dúvida, ignore.
  • Denuncie. As redes sociais possuem mecanismos para que os usuários apontem conteúdos falsos.
  • Divulgue a verdade. Ao ver algum amigo disseminando informações falaciosas, alerte e mande fonte verdadeiras.

Além disso, também existem ferramentas destinadas a combater as Fake News. Diversos sites são dedicados para comprovar a veracidade das notícias. Ao acompanhá-los, você pode se precaver antes mesmo de receber a informação.

Alguns exemplos são o Fato ou Fake (criado pelo grupo G1), o grupo Comprova e o projeto Saúde sem Fake News.Este último, criado pelo Ministério da Saúde, para conferir a veracidade de notícias relacionadas à saúde. Infelizmente, não conhecemos muito sobre a divulgação em massa dos boatos que circulam online. Por isso, é importante que todos estejam protegidos contra eles.

Por fim, tão crucial quanto saber se defender contra as Fake News, é divulgar esse conhecimento. Alerte as pessoas ao seu redor sobre os perigos desse tipo de informação. Afinal, são essas ações virtuais que causam impacto na sua vida real.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no tumblr
Tumblr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Certificado Homologação
da Adapt Link pela Anatel